24 de dez de 2013

Caminhando no sonho e na realidade...

Acordei e tomei a decisão de realizar o que tão somente era sonho. 
Então pensei o que vou fazer para que o sonho venha a ser realidade?
O medo de não acontecer de uma forma feliz, me atormentava.

Recapitulei na memória somente o que foi de bom, fui juntando os pedacinhos como em um lindo vitral, depois pensei, não,  tem que ser como um quebra-cabeças de 1000 peças...
Fui juntando e misturando tudo relembrando o primeiro momento, ainda no receio não deixei o medo me dominar, mas disse Não, está muito tarde.


A resposta do outro lado foi conclusiva para que tão somente hoje eu faça o que deveria ter feito anos passados, hoje eu digo Sim.

Se a vida lhe propõe um determinado momento, não tem o porque temer, principalmente se foi o que no seu intimo busca a realizar.

Preparei a bolsa com tão somente o necessário, colocando dentro dela o que nos últimos meses tem me feito ser mais branda no pensamento, mais harmoniosa nos detalhes, com o olhar mais singelo, reflexiva nos atos alheios.

Sai de casa sem hora para voltar, passei o batom, soltei os cabelos e olhei no espelho que deveria não mais procrastinar o que tanto desejava realizar.

Olhei para o céu e pedi forças ao Criador que eu fizesse corretamente e igualmente aos meus sonhos, respeitando o lado quieto e manso dos que iriam em breve me receber, se recebessem pois na verdade não sabia o que me aguardava.

Recomeçar mas de uma maneira que o espirito estivesse desarmado, sem medo ou acusações, sem apedrejamento das almas e levando comigo apenas a sinceridade de poder agradecer, até mesmo pela dor causada.
Dor que nos ensina a perdoar, relevar e sermos pacientes, não somos perfeitos, não somos integros a nós mesmos, damos meia volta e retornarmos algumas vezes.

Pois bem as visitas aconteceram e o caminho foi tornando-se fácil, chegou um momento em que as pernas tremiam, não me permitiam mais dirigir, então peguei um taxi e sem saber exatamente apenas com a visão do que via materialmente dei prosseguimento, foi o primeiro, o segundo e ao chegar ao terceiro já no final do dia, minha tremedeira era intensa que não pude dizer o que realmente fui pra dizer e mostrar o que deveria mostrar.
Provavelmente se eu tivesse mostrado o lado esclarecedor eu teria não tornado um momento encantador como foi  tão bom.

Merecimento de ter amigos e pessoas irmanadas em uma fé que engrandece e permite ter esperança em dias melhores, que tudo pode dar certo quando colocamos nossos pensamentos direcionados para o Criador Maior.

Poder olhar em seus olhos, sua face e tocar sua mão me trouxe a certeza de que estava no itinerário certo, poder em poucas palavras que me foram permitidas pela emoção e dizer "muito obrigada", esse é o sonho realizado que venho trazendo comigo desde que em determinado momento me foi revelado o que realmente teria acontecido.

Ainda não acordei por completo, tenho ainda muitos cochilos acumulados e no balanço da rede espero algum dia estar contigo rindo de algum sonho que ainda poderemos realizar.
Afinal de contas não houve um começo para ter fim, houve uma pausa do começo, certo?

Nicinha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Feliz por sua visita! espero que tenha gostado e claro seja sempre bem vindo.
Fraterno abraço, desejando felicidades.