12 de ago de 2013

Mulheres praticam mais violência doméstica que homens

Sempre que se fala em violência doméstica, a imagem criada no imaginário e na mídia envolve o homem agredindo a mulher.
A violência praticada contra o homem, por outro lado, é considerada uma exceção à regra.
Mas esses preconceitos precisam mudar rapidamente, sob pena do problema da violência doméstica não ser solucionado.
Foi o que apontaram os resultados surpreendentes do estudo realizado por Fernanda Bhona, na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), em Minas Gerais.
Violência da mulher contra o homem
Com um total de 480 participantes, a pesquisa apontou que 77% de um grupo de 292 mulheres com relação conjugal afirmam ter xingado, humilhado ou intimidado o parceiro, contra 71% das mesmas ações tomadas por eles.
A agressão física do companheiro - tapas, socos ou chutes - foi assumida por 24% das mulheres. E, segundo as próprias mulheres, apenas 20% dos parceiros cometeram o mesmo tipo de agressão contra elas.
Quando o ato violento deixa lesões, hematomas ou causa desmaio após a pancada, cerca de 13% delas são responsáveis pela ação, contra 9,5% das agressões masculinas infligindo danos às parceiras.
O quadro típico da violência doméstica só se confirmou nos casos de agressão sexual leve - a pesquisa revelou que 16% das mulheres foram forçadas a fazerem sexo com o parceiro, enquanto 14% dos homens foram obrigados a praticar o ato por suas companheiras contra a sua vontade.
Violência contra a família
As agressões podem se agravar ainda mais se existir consumo excessivo de álcool pelas mulheres.
Segundo a pesquisa, 54% de um grupo de 252 mulheres, que tinham filhos de até 18 anos, cometeram algum tipo de ato classificado como maus-tratos aos filhos, como bater com a mão fechada ou chutar com força, após a ingestão de bebida alcoólica.
A pesquisa não revelou nenhuma associação significativa entre o consumo de cerveja acima do permitido e a violência praticada pelas mulheres contra os homens.
No entanto, 26% das entrevistadas relataram brigas entre o casal após a ingestão de álcool, que deixaram lesões nas mulheres e 35,6% delas sofreram algum tipo de agressão física.
Há dez anos, outra pesquisa realizada em 16 capitais brasileiras apresentou resultados semelhantes à pesquisa de Fernanda Bhona. O nível de agressão psicológica entre os casais ficou em 78,3% e o de abuso físico, 21,5%, apresentando um cenário contrário ao que se atribui normalmente ao homem, o de agressor.
Redação do Diário da Saúde

Nicinha

11 comentários:

  1. Querida amiga Nicinha !!

    Obrigado pela gentil visita ao meu espaço. Pelas
    Palavras de carinhos com meus trabalhos. Passando Para retribuir essa gentileza e também deixar o meu abraço e carinho pra você.
    Te desejo uma semana maravilhosa, com muita luz e
    Amor em teu coração.
    Beijos de luz!!!!!!!!!

    POETA CIGANO – 12/08/2013
    http://carlosrimolo.blogspot.com
    “Poesias do Poeta Cigano”

    ResponderExcluir
  2. Deveria ter a lei para proteção do homem tb. Tem que haver respeito de ambas as partes.
    Respondendo a sua dúvida,meu blog tem uma proteção que mandei colocar quando mudei o layout,por isso vc não conseguiu copiar,me fala qual é o selinho que eu te mando via e-mail. bjs fica com Deus!
    http://blogdonadecasatambemsearruma.blogspot.com.br/
    http://deusguianossospassos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um link de apresentação igual ao meu, irei coloca-lo na lateral do blog.
      Bjs

      Excluir
  3. Boa noite. Tudo isso é muito triste...

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Nicinha,
    este é um dado que eu não conhecia... Preocupante isso, sobretudo relacionado a agressão psicológica.

    Abraços e paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza a reação e os danos psicológicos algumas vezes podem ser irreversíveis e muitos causam também os danos fisicos, por exemplo causam danos na visão a pessoa pode tornar-se um deficiente visual- de baixa visão.
      Abraços.....

      Excluir
  5. Bom dia Nicinha, não conhecia estes dados... preocupante sobretudo relacionado a agressão psicológica.

    Abraços e paz.

    ResponderExcluir
  6. Olá Nicinha,

    Á violência doméstica esta crescendo demais. É muito dolorido, e mais dolorido ainda,ver que nenhuma atitude a esse respeito tomam os governantes.

    Beijos e ótima quinta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E pode ter certeza Smareis os governantes não irão tomar nenhuma atitude, o fatoé que as ONGS ajudam e dão apoio as familias.
      Bjs

      Excluir

Feliz por sua visita! espero que tenha gostado e claro seja sempre bem vindo.
Fraterno abraço, desejando felicidades.