5 de nov de 2011

REFLETINDO PARA DIAS MELHORES... Onde está a felicidade?


Receita de felicidade é difícil oferecer pois depende de como cada um encara a sua caminhada. De uma coisa, porém, estejam certos: o equilibro psíquico e a boa saúde representam o melhor quadro para o estado de felicidade.

Há poucos dias morreu uma japonesa considerada a mulher mais velha do mundo e que deixou, segundo a imprensa, uma frase que traduz o motivo de tanta longevidade: “tive prazer em tudo que pude fazer”.

A felicidade é indefinível pois ela está dentro de nós e não fora. É um sentimento e não um acontecimento. Não está nas coisas: dinheiro, títulos, glórias, sexo. Podemos ter tudo isto e não tê-la, como podemos tê-la sem tudo isso. A felicidade tem um significado diferente para cada pessoa; umas acham a felicidade no silêncio, conversando consigo mesmo, com Deus. Só com o silêncio você pode perceber muita coisa que errou e que pode melhorar.

Outros encontram a felicidade no sexo, brincando na beira do mar com crianças, correndo na praia, ouvindo uma serenata de Mozart. Para um frade do Mosteiro de São Bento a felicidade é a quietude da clausura, cantando um canto gregoriano e assim esquecendo de si mesmo, conversando com Deus.

Existe atualmente um grande neurologista indiano radicado na Califórnia, que está se dedicando de forma notável ao estudo do cérebro com aparelhos de última geração. E ele diz que o ser humano se conhece muito mal.

Com técnicas computadorizadas de geração e imagem o Dr. Vilayamur observou como os nossos neurônios se modificam quando você sente alegria ou tristeza. E esses neurônios se desgastam e envelhecem em sessões de estresses repetitivos.

A freqüência de depressão parece estar crescendo de forma assustadora no mundo. Esse caráter epidêmico da depressão mostra que andamos muito carentes de momentos de felicidade. Diz o filosofo holandês do século XVIII Barek: “a felicidade é a transição do espírito para um estado mais perfeito, enquanto a dor é a transição para um estágio infinito”.

Uma pesquisa feita no Nordeste, região pobre do Brasil, mostrou que 56% de sua população não se sente feliz. É que faltam alguns itens em suas vidas para que essa felicidade seja plena. Se olharmos o nosso

País de hoje, com suas terríveis desigualdades sociais, com sua população carente de saúde e dinheiro no bolso, vamos ver, com tristeza, que eles anseiam pela felicidade, mais não podem alcançá-la pelos imensos obstáculos a transpor.

Dizem os psicólogos que a felicidade é o momento presente. Cabe, assim, a cada pessoa, descobrir esses momentos.

Para você conhecer melhor essa pessoa maravilhosa:

MILTON HÊNIO NETTO DE GOUVEIA, nascido en 06 de maio de 1937, na cidade de Maceió, no bairro do Farol, no Parque Gonçalves Lêdo, onde até hoje mantem seu consultório pediátrico.

Um comentário:

Feliz por sua visita! espero que tenha gostado e claro seja sempre bem vindo.
Fraterno abraço, desejando felicidades.