13 de out de 2011

SEMANA DAS CRIANÇAS. Você conhece quem conversa com seu filho na internet?


Crianças superam adultos na rede.
Segundo a pesquisa, 21% dos pais nada fazem para restringir ou controlar por onde as crianças navegam, leia e fique atento.

São Paulo Uma em cada quatro crianças brasileiras usa internet, enquanto menos de 20% dos adultos acima de 45 anos têm esse costume, segundo pesquisa do Comitê Gestor da Internet (CGI) sobre o uso de tecnologias por crianças entre cinco e nove anos de idade.

Das 2.516 crianças ouvidas entre setembro e novembro do ano passado, 51% disseram já ter usado um computador, e cerca de metade delas (27%), internet. A partir do estudo, é possível entender como as crianças acessam a rede. Elas utilizam a internet principalmente para se divertir com joguinhos (90% das crianças) e fazer coisas da escola (45%). Enquanto 29% disseram já ter usado redes sociais, só 10% delas já enviaram um e-mail na vida.

As crianças de cinco a nove anos costumam acessar a internet principalmente em casa (42%) ou na casa de outra pessoa (21%). O número de crianças que acessam a rede na escola (17%) é praticamente igual ao das que a acessam em LAN houses ou cibercafés (16%).
De acordo com o estudo, 39% das crianças usam a internet sozinhas, contra 29% das que a utilizam na presença de parentes e 28%, com professores. Os professores são fundamentais para ensinar o uso da tecnologia. Eles foram mencionados por 37% delas, seguidos pelos parentes (27%).

Praticamente seis em cada dez crianças já utilizaram um celular, e duas possuem seu próprio aparelho. Das 2.516 crianças ouvidas entre setembro e novembro do ano passado, 59% disseram usar celular, e 18%, possuírem.

Controle

Quanto menor a renda familiar e maior o desconhecimento da rede, menor o controle dos pais sobre o que o filho vê na internet. Segundo a pesquisa, 21% dos pais nada fazem para restringir ou controlar por onde as crianças navegam na web. 40% disseram conversar com a criança para orientá-la.

A renda também parece ser fator determinante. Enquanto apenas 9% dos pais de classe A disseram não controlar, esse percentual chega a 37% nas classes D e E. Já 61% dos pais de classe A ficam ao lado da criança. Esse percentual cai para 8% nas classes D e E.

Fonte: Diário do Nordeste

Ponto de vista da Perseverança: Claro que o uso hoje em dia é obrigatório, nas pesquisas escolares, na comunicação com os coleguinhas...
De uma forma ou de outra devemos estar atentos, diria que se você não daria carona para algum desconhecido para não correr riscos então de modo similar também não aceitaria que seu filho adicione quem ele não conhece, e sua presença e seu diálogo diário em todas as ocasiões em que ele estiver no computador não fundamentais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Feliz por sua visita! espero que tenha gostado e claro seja sempre bem vindo.
Fraterno abraço, desejando felicidades.