4 de ago de 2010

Semana cultural e ás vésperas da Bienal do Livro, vamos falar de assuntos bem legais p/ as crianças.




Quem não se lembra da história de João e Maria? perdi a conta de quantas vezes fiz a leitura para minhas filhas quando pequenas.
E hoje essa leitura considerada antiga faz sucesso, os seus livros estão sempre na moda nas livrarias e nas bibliotecas públicas.
Hans Christian Andersen, se vivo estivesse, hoje faria 205 anos! E como sua obra tem sido lida por gerações - e assim continuará a ser, Andersen encontra-se entre nós através de suas histórias, que encantam a todos, mesmo os adultos. Quase todos lemos, da lista que está na matéria que posto, senão muitas, a maioria de suas histórias.

Seus contos têm sido reiteradamente traduzidos para quase todas as línguas existentes. Pudera! São expressões suaves de criatividade literária ímpar, que sensibilizam as pessoas sensíveis e sonhadoras: aquelas que acreditam na existência de fadas, príncipes, gnomos... todo o imaginário intangível, mas passível de ser encontrado por almas puras e inteligências criativas.

Muitas vezes, quando Andersen contava suas histórias, gostava de, ao mesmo tempo ou desenhá-las ou fazer recortes em papel das mesmas. Em Copenhagen, há um museu com diversas gravuras e recortes feitos por Andersen.

É de tal importância sua contribuição para a literatura infanto-juvenil que 2 de abril foi escolhido como "Dia Internacional do Livro Infanto-Juvenil". Acresça-se ainda o fato de que o mais importante prêmio deste gênero de literatura, tem o seu nome. Voltemos ao passado e lembremo-nos o quanto nos deliciávamos com as histórias que ele escreveu.

Hans Christian Andersen nasceu há 205 anos, no dia dois de abril

Todos o sabem autor de histórias; poucos, que também era poeta. De família humilde, com pai sapateiro, Andersen teve dificuldades para se educar, mas os seus ensaios poéticos e o conto Criança Moribunda garantiram-lhe um lugar no Instituto de Copenhague. Escreveu peças de teatro, canções patrióticas, contos, histórias, e, principalmente, contos de fadas, pelos quais é mundialmente conhecido.

Entre os contos de Andersen, destacam-se: O Abeto, O Patinho Feio, A Caixinha de Surpresas, Os Sapatinhos Vermelhos, O Pequeno Cláudio e o Grande Cláudio, O Soldadinho de Chumbo, A Pequena Sereia, A Roupa Nova do Rei e A Princesa e a Ervilha, dentre outros.

Publicou, ainda, O Improvisador (1835), Nada como um menestrel (1837), Livro de imagens sem imagens (1840), O romance da minha vida (autobiografia em dois volumes, publicada inicialmente na Alemanha em 1847), mas a sua maior obra foram os contos de fadas (Eventyrog Historier, ou Histórias e Aventuras) que publicou de 1835 a 1872), onde o humor nórdico se alia a uma bonomia sorridente, e onde usa simultaneamente a base constituída por contos populares e uma ironia dirigida aos contemporâneos.

Então gostou? a fonte desse assunto foi do blog que é cultura pura e muito legal indicado por um excelente jornalista, veja o endereço ai:
www.peroladecultura.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Feliz por sua visita! espero que tenha gostado e claro seja sempre bem vindo.
Fraterno abraço, desejando felicidades.