13 de mai de 2009

ERA UMA VEZ...

Corpo cansado, nem parecia que havia durmido a tarde toda, ja passava das 19 hs qdo ela acordou. Abriu olhos e olhando a janela a sua frente e não mais vendo a luz do sol, começou a pensar: Que horas são?
Levantou-se e pondo-se a sentar na cama, disse em voz baixa, mais uma tarde que não vi passar.
Usando uma camiseta de malha, short e meias nos pés, começou a andar pela casa, constatando estar sozinha, pegou um copo, uma garrafa de vinho Carbonet e sentou se no sofá.
Sentou se no canto e olhando para o nada, colocou o vinho no copo e levantou-o olhando pra ele disse:
*Caro copo vamos mais uma vez chegar para nosso destino e conversar.
Ela não sabia e nem poderia imaginar que aquele copo de vinho iria lhe responder.
Ela não poderia imaginar que suas horas seguintes poderiam ser invadidas, por algo tão belo e tão estranho.
Convivendo sozinha, por mais de três anos, não acreditava que poderia dar alguma mudança em sua vida. Acreditava apenas que fazer seu papel de mãe, cidadã, cuidar de não esquecer dos compromissos profissionais e ser gentil com o próximo, isso já era suficiente.
Ela não sabia e também não se interessou olhar no espelho, ver que tinha um corpo bonito, cabelos pretos naturais aonde a tintura que haviam eram os grisalhos que começavam a surgir, cabelos esses na altura do quadril, que eram cacheados. Segurando o copo com uma das mãos ela põe-se a sentir os cabelos pelo corpo, corpo sedento de vontade, uma vontade inconfundível de querer abraçar, por um instante chegou a sentir na nuca uma respiração quente, imaginando-se ser acariciada por essa respiração quente.
Mas como tudo nessa vida de ilusões, percebeu-se que o copo ja estava novamente vazio.
Encheu novamente e de gole em gole voltou-se para o relógio que ficava em um móvel no canto da sala e imaginou:
*As horas bem que podiam parar, somente para continuar e saborear e sentir esse calor por tempo indeterminado.
De gole em gole, levantou-se e começou a andar pela casa, caindo uma lagrima, duas lagrimas, ela não acreditava já eram 21 hs e mais uma vez, mais um fim de semana chegava ao fim e mais uma vez nada de diferente em sua vida.

Um comentário:

  1. Gostei e será como meu livro de cabeceira, pois sei que havera muitas palavras e muitas lagrimas para se emocionar.Beijinho da Belzinha.

    ResponderExcluir

Feliz por sua visita! espero que tenha gostado e claro seja sempre bem vindo.
Fraterno abraço, desejando felicidades.